Passagens de uma revolta

Gente, quinta-feira eu tive um surto. O fato é que de tempos em tempos eu tenho uma TPM fora de época e fico possessa. Quinta já estava revoltada com o seguinte pensamento “isso não é vida”. Apesar desse meu surto já ter passado preciso dividir ele com vocês (e para isso vou falar alguns palavrões)

O fato é que a maioria das pessoas não percebe a vida de cão que tem. Nego acorda 7 horas da manhã (com sorte, pq tem gente que acorda antes) e já se ferra qdo vê que o casaco que ia usar está com o forro todo rasgado pq sua empregada (sorte, tem gente que nem tem empregada) jogou na máquina e provavelmente optou pelo nível que dá mais porrada na roupa. Daí, vc demora UMA FUCKING HORA pra chegar no trabalho AND chega atrasada. Trabalho é trabalho, não preciso nem citar as desventuras que passamos porque bom, cada um sabe do seu. Aí você tem um break, desce pra fumar, e, além do fluxo intenso nos elevadores, chega lá embaixo e:

1- Não pode fumar em lugar nenhum por causa da maldita lei

2- Alguma maldita moto vai desparar o alarme da Car System, certeza

Daí vc pega, marca unha e sobrancelha pq afinal, no dia seguinte tem o aniversário do seu marido e vc tem que estar no mínimo apresentável. Vc chega lá, e pela DÉCIMA QUINTA VEZ marcaram seu horário errado. E é o desespero. Você andando na rua, no fluxo contrário da boiada da Vila Olimpia, tomando trombadas. Nego tem uma ânsia pra pegar busão!!!! Pra quêêêêêêêêêêêê?? Entra no busão e fica parado no lugar, esmagado do mesmo jeito!!!!!!!!

Daí você (depois de 1 hora) chega na faculdade e tem que ouvir militante PT maconheira e desgarrada falando da Tropicália. Ah, desculpa, mas vai TOMÁ NO CU!!!! Isso quando você não tem que ouvir que os franceses lêem 25 livro por ano e os brasileiros só 8. Ah sabe, na França nego trabalha 6 horas por dia, e meu, a França é a França, não tem tantas coisas divertidas pra fazer como aqui no Brasil (hahaha). “Vou sentar no café, pedir um brioche, colocar minha boina e ler meu livro”. Sabe aqui não rola.

E experimenta ficar doente… Não pode!!! Não pode!!! Principalmente quando você não tem plano de saúde!!!!! E experimenta levar um atestado no trabalho:

-Ah olha, aqui dia 4 dias de repouso, mas assim, 4 dias não dá.

-Mas chefe, eu estou com EBOLA!

-Desculpe, mas 4 dias fica difícil… Você sabe o tanto de gente querendo trabalhar por aí, não sabe? Então.

Ah sabe gente, isso não é vida. Daí se você quer dar uma festa no final de semana na sua casa pra descontrair nem pode!!! Porque certeza que algum vizinho vai reclamar e você ainda corre o risco de ter aquele puto do Fantástico na sua casa querendo resolver a briga. Sabe…

E experimenta ir pra balada, ou pegar estrada pra você ver… Não dá gente, com o dinheiro na mão da classe C tudo fica mais difícil (haha ok, vou pro inferno).

Enfim, cheguei na faculdade revoltada porque a maioria de nós não tem uma vida descente. Nem pobres, que não tem estrutura, nem ricos, que vivem preocupados com a sua segurança, nem a classe média. A que MAIS se fode. Nós não temos bolsa Porra Nenhuma, mas também não temos dinheiro. Nós não somos da classe operária e mal temos direitos. Nós temos o nosso crédito negado pela Sleep House da Avenida Pacaembu, mas também não podemos comprar camas no D&D e não queremos comprar na Arapuã da M’Boi Mirim.

Ou seja, assim fica difícil. Mas já escrevi muito. E agora tô dando risada pq um amigo da faculdade, ouvindo o meu discurso revoltado disse: “Cacete Tota, você está igualzinha ao cara do ‘Eu fico Puto'”. Conhecem?

Anúncios

Um comentário sobre “Passagens de uma revolta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s