A Síndrome da Mulher Príncipe

E hoje, no “Dia do Homem” (juro que um dia serei evoluída o suficiente para entender a função dessa data) que tal falar sobre mulheres?

Já há algum tempo que eu investigo a – por mim chamada – “Síndrome da Mulher Príncipe”. As mulheres frequentemente são acusadas de esperarem um “Príncipe Encantado”. “Tem mulher que não dá certo com ninguém porque idealiza uma coisa que não existe!”, “Elas querem o que, alguém que chegue no cavalo branco para libertá-la da torre?” “Isso não existe. Culpa da Disney!”, são algumas das verdades absolutas que ouvimos por aí. Mas será que alguém já parou para prestar atenção na Mulher Príncipe?

A Mulher Príncipe não espera seu Príncipe Encantado: ela vê um homem desamparado, sozinho, desolado, e acha que pode fazer algo para melhorar a vida dele. A Mulher Príncipe quer salvar. Ela está ali bem resolvida, bonita, com uma vida profissional satisfatória. Ela não precisa de você. Ela não precisa de ninguém. Mas ela cisma em tirar alguém de um suposto poço de escuridão. A ideia de companheirismo dela é tão forte, que ela está disposta a fazer o que for, despindo-se de qualquer egoísmo para ajudar o homem desejado. Ela não quer ser a mocinha, ela quer ser necessária. Quer chegar no cavalo branco e resolver a vida do amado. Veja bem: há uma diferença no caso da Mulher Príncipe e no de mulheres que têm a vontade/esperança de MOLDAR alguém. A Mulher Príncipe quer, veja bem, ajudar.

Acontece que nem todo mundo quer ser ajudado. Na realidade a maioria das pessoas não quer, busca apenas seguir sua vida e se alguém quiser que se molde a ela (desde que não atrapalhe, é claro!). Para um homem, ou para a sociedade em geral, a Mulher Príncipe pode facilmente passar por uma insana controladora. Não é possível alguém querer ajudar em troca de um pouco de amor.

Quando me dizem que homens tem medo de mulheres independentes, eu discordo totalmente. As pessoas não tem medo de homens solteirões e mulheres independentes, têm medo de precisarem umas das outras. Têm medo de ter alguém tão necessário que não seja possível se desvencilhar facilmente. Quase todo mundo busca a metade da laranja, mas ninguém de fato quer ser ou ter metade. Só o todo interessa.

Talvez a Mulher Príncipe precise vestir um pouco o manto do egoísmo e se deixar ser salva de vez em quando ou quem sabe, salvar a si mesmo já pode ser um ótimo começo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s