Salvem o instinto materno!

O acesso a informação é algo super positivo, favorece o esclarecimento e a troca de ideias. O problema é quando o acesso vira excesso.

Médicos, livros, blogs e sites, fóruns, amigos, conhecidos, parentes… Todo mundo tem algo a dizer sobre maternidade (inclusive eu!) e em meio a tanta informação onde fica a nossa voz interior? O chamado instinto materno ou apenas “instinto”? Eu não acredito que o instinto materno ensine a trocar fraldas ou dar banho no bebê mas eu acredito que o instinto materno é o que nos faz ficar lá e continuar. O resto se chama TENTATIVA e ERRO.

(1032)

Uma das perguntas que mais ouvi tanto na primeira quanto na segunda gravidez é “Vai vir alguém para te ajudar? Sua mãe ou sua sogra?”. Acho SUPER válido, principalmente no período de recuperação do parto (seja normal ou cesárea) contar com uma “rede” de ajuda. Mãe, sogra, irmã, prima, tia… Quem quer que seja, acho a cumplicidade entre mulheres algo incrível, desde que haja limites. Por dois motivos: o pai deve ser inserido no novo contexto da família. Deve ter um papel, deve se sentir convidado a participar já que o “instinto paterno” da maior parte dos homens tende a falhar num primeiro momento. Soma-se isso a licença paternidade reduzida e voilá: em pouco tempo teremos uma mulher decepcionada e um pai perdido. Veja bem, não estou dizendo que a negligência de alguns pais seja culpa das mulheres, mas um empurrãozinho na direção certa é sempre bem-vindo.

O outro motivo: a ajuda (geralmente), não vai estar lá para sempre. É preciso dar espaço para que aquela nova mãe se torne de fato uma mãe. Não “qualquer” mãe, mas a mãe para o bebê que ela deu a luz. Encare como se você estivesse fazendo um bolo que não tem receita certa: depende do seu gosto. Então, às vezes você coloca mais açúcar, menos farinha, mais chocolate ou menos chocolate… Se você está sozinha consegue errar e tentar de novo sem medo. Mas se a todo momento tem alguém dizendo que não é assim, que precisa de ovo, que você colocou manteiga demais ou que faz o bolo diferente de você e não gostou do seu, bem, então é capaz que você se distancie cada vez mais da sua receita própria.

Que tal pensar que o instinto materno é uma opção em meio a tanta informação, mas que para funcionar ele deve ser exercitado todos os dias?

2013-06-08 13.05.25

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s