O que perguntar na primeira visita ao pediatra

No primeiro ano de vida você leva seu bebê ao pediatra em média 10 vezes. Parece muito (certamente é mais do que você vai ao cinema), mas a verdade é que muitas dúvidas surgem nesse período, e além das consultas, certamente você vai usar muito o Whatsapp e o telefone! Meu pediatra, meu melhor amigo! ❤

Desde o momento que saímos da maternidade a orientação é que se espere de 1 semana a 10 dias até a primeira consulta. A não ser que esteja acontecendo algo fora dos padrões, tente esperar esse período. Só assim você terá material suficiente para levar ao médico e ele terá dados comparativos, por exemplo, se o bebê ganhou ou perdeu peso.

 

  1. Saiba o que esperar

Ao contrário das sus consultas na vida e na gravidez, a consulta com o pediatra é bem menos “física” e mais conversação. Durante o primeiro ano ele deve te orientar sobre amamentação, alimentação, rotina do bebê, o que fazer quando eles choram, hábitos de sono, sua relação com o bebê e marcos de desenvolvimento.

 

  1. Faça uma lista

Você já deve ter escutado essa dica, mas é importante frisar. Durante todo o período pré-consulta faça uma lista com dúvidas, desde as mais importantes até as mais simples como “o bebê da minha amiga faz X coisa e o meu ainda não, é normal?”.

 

  1. Não seja uma escrava da “agenda da rotina”

Especialmente nas primeiras semanas, alguns pais podem ficar obcecados em anotar tudo que foi feito com o bebê durante o dia. O horário que o bebê foi alimentado, quantas vezes fez xixi ou cocô, a hora exata das sonecas, a que horas foi dormir e quando acordou, enfim… Se funciona para você, ok, continue fazendo, mas dificilmente o seu pediatra vai pedir esse “relatório”. Eles precisam de fatos gerais e não de uma planilha de Excel dizendo quantos ml seu bebê mamou.

   

 

  1. Não fique obcecada com a Curva de Crescimento

Olha, essa você pode imprimir e colar pela casa, porque o mais comum é que mães e pais fiquem enlouquecidos com o ganho de peso dos seus bebês. Nos primeiros 6 meses o pediatra deve observar se o percentil está onde deveria estar: se a cabeça e a altura estão em torno do percentil 50. Mesmo se seu filho for maior ou menor, desde que o desenvolvimento seja constante, geralmente não há nada para se preocupar. Vale considerar o tipo físico dos pais: dificilmente um casal franzino, terá um bebê gigante. E vice-versa.

 

  1. Você pode responder (educadamente!)

Com a maioria das coisas – como hábitos de sono e rotinas – você não precisa fazer se não quiser. Um bom pediatra não se julga o dono da verdade, ele está lá para te orientar. Então, se ele propõe uma rotina que não funciona para você, questione e explique como seria melhor. Se ele diz que está na hora do desfralde e você sente que ainda não é o momento do seu filho, escute as orientações, mas execute quando achar apropriado e diga: “Vou incentivá-lo, mas acho que ele não está pronto”.

 

  1. Cheque as informações do Dr. Google

Temos um grande acesso a informação graças a internet e o grande problema nesse tanto de informação, é saber o que é verdade e o que é mito. Certamente você deve abordar com seu médico as coisas que leu na internet. “É verdade que o Zika surgiu após um lote de vacinas vencidas?” “Se eu comer um hambúrguer do Mc Donalds, o gosto passa pelo leite?”, entre outras coisas. É como eu sempre digo: logo ao engravidar você deve “eleger” no máximo três pessoas para ouvir. Exemplo: sua amiga que você admira como mãe, sua avó e seu médico (e posteriormente, o pediatra).

 

  1. Você não precisa “provar”.

Se o seu bebê está fazendo um barulho estranho com a boca, ou chora demais em determinado momento, não se preocupe se ele não agir assim na consulta. Seu pediatra vai aceitar sua palavra e provavelmente ele já se deparou com um caso parecido. Se for algo muito específico, você pode filmar e mostrar durante a consulta.

 

  1. Bloco de notas

Anote ou peça para seu médico anotar as principais dicas e orientações. Também peça um “adiantamento” do que pode acontecer ao longo do próximo mês. Exemplo: “Agora começam as cólicas” ou “Provavelmente nesse mês ele pode perder um pouco de peso já que vamos começar a introdução alimentar”.

 

Por fim, se você não estiver feliz com seu pediatra, troque. E troque de novo até acertar, sem crise. Pode acontecer do pediatra que sua amiga AMA, não ser a melhor escolha para você.

Gostaram do post didático? Às vezes eu falo sério, estão achando que Consejo é só bagunça?

  

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s