Tratando a queda capilar pós-parto

Oi gente!

Bom, com algumas aqui devem acompanhar, eu tive todo um trabalho para “desembarangar” após ter o meu primeiro filho. Já mostrei como cuidei da pele, dos cabelos, me meti a dar dicas de dieta e até mostrei um antes e depois da luta contra a pança.

Quando engravidamos, por conta dos hormônios, os cabelos ficam lindos, cheios, crescem rápido, é uma maravilha! Mas vai achando que vida de mãe é fácil… Lá pelo quarto mês do bebê (oi! óia nóis aqui!) por conta da queda hormonal toda aquela vasta cabeleira começa a ir embora. Mas assim, eu já sofri de queda de cabelo e posso dizer: isso é muito pior. Cada vez que tomo banho canto a música da Carolina Dieckmann na novela. Fui passar o final de semana na casa de uns amigos, o piso deles era claro e eu fiquei com vergonha, de tanto que vi meus cabelos rolando pelo chão. Meus filhos estão sempre com mil fios meus nas mãos.

Aí, num misto de indicações da Dra. Thais Guerreiro, da Dra. Andrea Pimentel com e indicações da minha obstetra, comecei meu tratamento para evitar a “calvice”. Ele é composto pelos seguintes produtos:

cabelos

1 – Máscara Masquintense Kerastase: ela não evita e nem trata a queda, mas hidrata o cabelo e ajuda a manter os fios protegidos e bonitos.

2- Locão Teloss 5 TheraSkin: uma loção que você borrifa no couro cabeludo. Outra opção é a Pilexil. A diferença é que achei a Teloss menos fedida, apesar de também não ser exatamente cheirosa. E loção é loção né, deixa aquele aspecto “melado” no cabelo, então você aplica, dorme com ela e lava os cabelos de manhã.

3- Shampoo Vichy Dercos: também é um velho conhecido meu. Acho ótimo e não é fedido.

4 – Pantogar: é um comprimido que deve ser tomado 3x ao dia. Quando tive queda há 3 anos, foi o que resolveu efetivamente o meu problema.

Na realidade todas as médicas me alertaram: por ser uma questão hormonal, todos esses produtos vão ajudar, mas só quando passar essa fase que meus cabelos realmente vão parar de cair. Pior, é que dizem que é bem nessa época que o bebê começa a reconhecer a mãe…  #mamãecareca

*Texto publicado originalmente no blog Feriado Particular